Faculdade IPEMED apoia evento da Agraça sobre TEA

NOTÍCIAS | 03 maio

#

Para comemorar o Dia Mundial de Conscientização sobre o Autismo (02/04), Associação de apoio à deficiência Nossa Senhora das Graças - Agraça, promoveu o evento “Os impactos do TEA na infância, adolescência e vida adulta”, com o apoio da Faculdade IPEMED de Ciências Médicas.

O ciclo de palestras, aconteceu no dia 14 de abril, no auditório da Unidade IPEMED MG, em Belo Horizonte e tratou, principalmente, sobre o Transtorno do Espectro Autista – TEA, uma série de condições ligadas ao desenvolvimento neurológico e caracterizado por alterações em dois domínios: a comunicação e interação social e os padrões restritos e repetitivos de comportamento. Além do Autismo, outros transtornos desse espectro são a Síndrome de Asperger e o Transtorno Global do Desenvolvimento.

De acordo com a presidente da Agraça, Maristela Ferreira, os impactos do TEA na infância, na adolescência e na vida adulta tem sido de grande relevância para  despertar nas pessoas de que o Autismo acompanha toda a vida do indivíduo sempre. “O fato de a pessoa ser adolescente, adulto ou idoso, ela não deixa de ser autista. E isso precisa ter um olhar dos profissionais da sociedade para poder dar essa atenção específica para cada indivíduo. O espaço da IPEMED é fundamental, porque esse ambiente acadêmico faz com que a gente possa discutir o assunto, preparar e capacitar profissionais e a sociedade, para que eles possam conviver com as pessoas com Autismo e dar a atenção devida para as famílias”, explicou Maristela.

#
#
#
#
#
#
#
#

A organizadora do evento, Michelle Malab, contou que o filho foi diagnosticado em 2005 e, desde então, percebeu o déficit de cursos e de seminários sobre o assunto em Belo Horizonte, por isso teve a ideia de realizar eventos sobre o tema na capital mineira. “Todos os cursos que tinham na época, tinha que ir para São Paulo, para o Rio de Janeiro. Então, desde 2008, que eu tenho realizado esses seminários em Belo Horizonte”, contou.

A organizadora também falou da importância de se falar do Autismo para que as pessoas tenham mais conhecimento. “Na medida em que as pessoas começam a conhecer mais o transtorno, seja pela mídia, por eventos e por outros meios, as pessoas estão conhecendo mais o transtorno. Aquela imagem do Autismo de grau mais severo tem caído e as pessoas estão conhecendo o lado mais leve e mais moderado. Nesse evento, eu quis unir profissionais qualificados da área como a terapeuta comportamental, Dra. Aline Abreu, o psiquiatra Felipe Guimarães, uma mãe que tem um trabalho maravilhoso feito na Holanda, a Fátima Dequant estamos tentando trazer parte disso para o Brasil, inclusive em moradias assistidas que é uma grande necessidade que hoje os autistas adultos, que estão no grau mais severo do espectro, também as famílias, precisam. São essenciais os apoios da Agraça, da Faculdade IPEMED e da Suricato. Sem eles nada disso seria possível”, falou Michelle.

Aproximadamente, 150 pessoas participaram do evento. Essa foi mais uma iniciativa da Faculdade IPEMED que busca incentivar debates que levem mais conhecimento para a sociedade.