Faculdade IPEMED promoveu pesquisa para avaliar risco da aterogenicidade em pacientes com sobrepeso

NOTÍCIAS | 04 junho

 

A Faculdade IPEMED de Ciências Médicas promoveu uma pesquisa para avaliar o risco da aterogenicidade em pacientes com excesso de peso. Trata-se do estudo de “Indicadores de Aterogenicidade em pacientes com excesso de peso: relação entre Diabetes Mellitus tipo 2 – DM e dislipidemias”. Dislipidemias, DM2 e obesidade aumentam de forma independente o risco para aterosclerose, e o objetivo foi avaliar indicadores de aterogenicidade de acordo com os diagnósticos desses distúrbios. 

Mais de 100 pacientes foram avaliados e a conclusão é a de que em uma população brasileira com excesso de peso não se observou diferença com relação a indicadores de aterogenicidade de acordo com o diagnóstico de DM2, mas sim de dislipidemias. O índice aterogênico é um cálculo entre os níveis de colesterol total no organismo e o colesterol HDL ou bom. A dislipidemia é caracterizada pela presença de níveis elevados de lipídios (gorduras) no sangue. Colesterol e triglicérides estão incluídos nessas gorduras.

A pesquisa multicêntrica foi feita com pacientes atendidos nos ambulatórios médicos das cinco Unidades IPEMED: Distrito Federal, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo. “A importância de o estudo ter sido realizado em vários locais é que possibilita avaliar e comparar populações de cidades diferentes, levando a um resultado mais relevante e representativo. Assim, os resultados podem ser ampliados para toda a população brasileira, por causa da representatividade, pois ambulatórios da Faculdade IPEMED recebem pacientes de todo país”, explicou o médico e coordenador da Pós-graduação IPEMED em Endocrinologia, Alberto Arbex, um dos responsáveis pela avaliação.

O estudo foi credenciado na mais importante estrutura de referenciamento de pesquisas científicas do Brasil, a “Plataforma Brasil" do Conselho Nacional de Pesquisa - CNPq. Todo trabalho é analisado por um comitê de ética em pesquisa, para que a realização do trabalho em território nacional seja autorizada, ou não.

O médico esclarece que foi criado um processo com as avaliações dos alunos que possibilitará à instituição a realização de análises técnicas quanto ao perfil de atendimento em saúde dos pacientes. “O resultado é apenas uma parte das muitas perspectivas de pesquisa oferecidas pela estrutura de pesquisa. O estudo multicêntrico nos Ambulatórios de Endocrinologia das cinco unidades buscou avaliar os parâmetros metabólicos dos pacientes, a fim de se construir um perfil para eles. O que valoriza a instituição e seu alcance nacional. Demonstra o perfil científico e de construção do conhecimento que a Faculdade IPEMED tem e oferece aos alunos, à ciência do país e à população brasileira”, destaca Dr. Alberto.

No período de um ano, foram aplicados os questionários do estudo. Além do professor Dr. Alberto Arbex, as professoras Aline Marcadenti, Mirella Hansen e as professoras preceptoras de cada uma das cinco Unidades IPEMED, sendo elas  Larissa Cunha de Sá, Minna Schleu, Luciana Valladares, Renata Maksoud e Larissa Nazareno foram responsáveis pela pesquisa.

O estudo será apresentando no Congresso Europeu ESPEN de Metabolismo, que acontece em setembro na Espanha. Um evento de grande importância na Europa, que reúne profissionais especialistas de todo o continente e garante visibilidade mundial ao conteúdo construído pela instituição. Após apresentação científica oficial nesse Congresso, a pesquisa será publicada na revista internacional  “Clinical Nutrition Journal”. E, de acordo com o Dr. Alberto, os alunos participaram ativamente e tiveram um aprendizado em pesquisa científica único.

“O aluno da Pós-graduação Médica IPEMED busca não apenas aprendizado e aquisição de conhecimento, ele traz uma demanda por crescimento pessoal e profissional que passa pelo ensino e pela pesquisa. Há a expectativa do desenvolvimento com a pesquisa médica. Muitos alunos e colegas trazem expectativa de participar e aprender a realizar e publicar pesquisas científicas. Nos últimos três anos, publicamos mais de 30 artigos científicos, com a autoria de quase 100 alunos IPEMED, valorizando os seus currículos. Quando um aluno publica conosco, ele se torna referência em sua região de atuação. É um desafio, mas também um aprendizado para eles. Todos os anos publicamos 10 a 12 pesquisas clínicas sobre temas e conteúdos relevantes à Endocrinologia na Faculdade IPEMED”, informa o médico.

Neste ano de 2018, foram publicados cinco artigos científicos em três diferentes Revistas Médicas Internacionais. O artigo sobre o uso da Metformina na Síndrome dos Ovários Policísticos é o mais recente deles.

 

Fique atento:

Todos os alunos pós-graduando IPEMED podem publicar artigos científicos

Para saber mais, envie um e-mail para coordenacaoendocrino@gmail.com